A felicidade no amor, está diretamente relacionada a forma como somos capazes de nos sentirmos amados.

Publicado por: Danielle Frison - 14/06/2019

Desde a infância nosso comportamento amoroso é formado por uma mistura de genes e espelhamento do comportamento das pessoas ao nosso redor. Mas principalmente, das experiências que temos logo no início de nossa vida. Ou seja, desde criança desenvolvemos nossa “linguagem” e é através dela que entendemos se estamos recebendo ou não o amor do outro.  

Mas o que vem a ser essa tal “linguagem do amor”?

Baseado no livro escrito por Gary Chapman, “As 5 linguagens do amor”, as maneiras de falar e entender o amor, se resumem em 5 formas:

 

Palavras de afirmação: o amor lhe é percebido por palavras de incentivo, de encorajamento, de agradecimento.
Tempo de qualidade: o tempo de dedicação que a pessoa tem com você é uma forma de constatar o amor, o contato visual que se mantém durante o tempo que vocês estão juntos.
Presentes: ser reconhecido, lembrado por pequenos presentes independente do valor financeiro.
Atos de serviço: o amor lhe é percebido pela oferta de ajuda que recebe do outro, seja para realização de pequenas ou grandes atividades, o importante é o outro estar ali para te apoiar no que precisa fazer.
Toque físico: o importante é ser tocado(a), através de abraços, beijos, massagens nas costas, nos pés, relação sexual.

Reconhecer a “linguagem”de cada um requer uma observação da reação da pessoa quanto às atitudes que lhe são demonstradas.

Outro dia, por exemplo, minha filha me disse, muito chateada:

“Mamãe, a Maria não é mais minha amiga. Fui dar um abraço nela quando chegamos na escola ontem e ela me empurrou, então acho que ela não gosta mais de mim.”

Nessa atitude ficou claro que sua linguagem principal é o toque físico.

Quando conseguimos reconhecer nossa maneira de receber o amor, torna-se mais fácil também, identificarmos a forma como as pessoas que amamos recebem nosso amor. Acredite, a maioria delas não receberá o amor da mesma maneira que você.

Por isso o sentimento de infelicidade é comum nas pessoas.

Pesquisas mostram que sentir-se amado é o que mais gera felicidade nos seres humanos, mas:

 

1 - A maioria das pessoas que amamos não recebe o amor da mesma maneira que a nossa;
2 - Quando queremos demonstrar nosso amor ao outro é comum fazê-lo da maneira como nós nos sentimos amados.

Ou seja, se você e a pessoa que está ao seu lado não se sentem amados é porque não entenderam a “linguagem” do amor que faz com que cada um se sinta assim. É como se falassem idiomas diferentes e por isso, não conseguem se entender. Como se a necessidade de um não faz sentido para o outro e no fim, ambos começam a se sentir infelizes.

E isso não acontece só em relacionamentos amorosos. Com filhos, pais, amigos e até mesmo no trabalho, não usar a linguagem correta nos gera uma emoção confusa e ruim.

Durante meus atendimentos, certa vez, um cliente me disse que estava muito insatisfeito com seu trabalho atual:

 

“Gosto da empresa, me dou muito bem com meu gestor e meus colegas. Adoro participar das reuniões com os clientes e estar com eles nos eventos, mas sinto muita falta de fazer coisas que gosto. Quero viajar com minha namorada, mas trabalho aos finais de semana. Quero estar com meus amigos no bar após o trabalho, mas tenho ficado todos os dias até tarde na empresa...”.

“linguagem” de amor desse cliente é o tempo de qualidade. Por isso não ter um equilíbrio no trabalho que lhe permitisse se dedicar as pessoas que ele ama, estava gerando a ele um sentimento de infelicidade com o trabalho atual.

 

Por isso, conhecer sua “linguagem” é fundamental para que possa nutrir o amor e obter o sentimento da FELICIDADE.

 

Sigma Desenvolvimento Humano pode ajudar nesse processo. Através de técnicas e ferramentas aplicadas por profissionais altamente capacitados, você obtém autoconhecimento não apenas sobre sua linguagem do amor, mas sobre o que realmente te motiva.

 

Vamos trabalhar juntos na busca pelo seu objetivo e encontramos o melhor caminho para alcançá-lo.

Voltar