Como ser mais gentil com SI MESMO e se permitir ousar mais.

Publicado por: Danielle Frison – 10/07/2020

Diariamente, lutamos para nos mostrarmos fortes e capacitados a fazer tudo o que propomos a nós e aos outros. Nessa batalha, não podemos cometer erros ou expor nossas fragilidades. Recuar frente aos desafios? Nem pensar! Competir para ganhar é o que todos buscamos, ainda que seja inconscientemente. E falar de sentimentos, chorar ou mesmo reconhecer o ser humano que existe em nós pode soar como “fraqueza” para muitos.

O que esses muitos não falam é que já vivemos em um mundo vulnerável. E que toda essa armadura que vestimos não nos ajuda quando percebemos que não temos o controle. Isso ficou ainda mais evidente neste momento com todos os planos cancelados ou postergados,a liberdade limitada e o fato de sermos privados de viver em sociedade por conta de uma pandemia.

Mas, no meio dessa situação, algo se destacou: a necessidade de se ADAPTAR.

E o que, efetivamente, é a ADAPTAÇÃO?

-      Viver o momento presente - um dia de cada vez.
-      Permitir-se ousar, fazer diferente – ninguém quer mais do mesmo.
-      Refletir e ouvir a si mesmo – afinal, estamos privados do contato social.
-      Sair da rotina, incluir atividades que antes não existiam no nosso dia-a-dia e mudar a forma de realizar tantas outras.

A adaptação não é um processo fácil, pois representa a perda daquele “controle” que - talvez - tenhamos conseguido manter até hoje.Nossa mente bagunçada fica sobrecarregada, e tudo que estava tão certo e óbvio, parece se tornar totalmente imprevisível.

E então, nos deparamos com a VULNERABILIDADE. Porque ser adaptável é também se permitir ser vulnerável.

Para muitas pessoas,a vulnerabilidade é um sinal de fraqueza, quando, na verdade, ela é a força quenos potencializa a imaginar, criar e mudar.

“Ser vulnerável é sinônimo de coragem.”
Brené Brown

E como lidar com a vulnerabilidade?

1.     Tenha compaixão e seja mais gentil com você mesmo

Seja flexível com suas atitudes, se cobre menos e não se culpe se algo não sair como planejado. A cobrança que existe aí dentro às vezes é tão pesada, que você pode se tornar seu pior inimigo.

2.     Seja ouvido

Ser ouvido é uma necessidade de todo ser humano. Você pode buscar por alguém que confie ou por profissionais que possam te escutar sem julgamentos. Nesse momento, principalmente, compartilhar emoções, sentimentos, medos e pensamentos pode aliviar o peso que tem carregado sozinho.

3.     Não se julgue

É comum o medo do julgamento que os outros fazem sobre a gente, mas o pior é o julgamento que você tem de você mesmo. Muitas vezes, você não se sente capaz ou merecedor de algo, tem o sentimento de não pertencimento dentro de si. E esse alto julgamento com o tempo acaba criando a percepção de que são os outros que te veem dessa forma, fazendo com que você evite a exposição – ou seja, evite a vulnerabilidade.

Com certeza, existem muitas outras atitudes que impulsionam a vulnerabilidade, mas precisamos dar o primeiro passo. Por isso, te convido a refletir sobre esses 3.

De que forma você se comporta frente a cada um deles?

A vulnerabilidade é necessária e natural na vida. Abraçá-la faz parte para que possamos ter a coragem de enfrentar nossos medos, arriscarmos em busca de resultados diferentes, vivenciarmos experiências novas e aumentarmos nossa exposição.

Mas lembre-se,abraçar a vulnerabilidade não quer dizer se abrir com todo mundo, não é deixar de se responsabilizar por suas atitudes ou flexibilizar as entregas e resultados que você precisa gerar. Significa que você está realizando um trabalho de reflexão para avaliar o “peso” que tem direcionado nessa sua armadura que é “ser forte” em todas as situações. Pois, é possível abrir mão e se tornar menos rígido, algumas vezes, em benefício de si mesmo.

Voltar